A importância da orientação profissional

Segundo Luiz Felipe Cortez, orientador no Colégio Estadual Leôncio Correia, a orientação auxilia no processo de escolha da profissão.

 

 Grupo de alunos do 3º ano do Colégio Estadual Leôncio Correria durante orientação. (Crédito : Letícia Costa)

 

Durante a formação estudantil no ensino fundamental e médio, os alunos não têm a oportunidade de discutir questões de autoconhecimento. Por este motivo, muitos estudantes somente depois de entrar na universidade percebem que aquele não era o curso que esperava.

 

É o caso da estudante de administração Ana Paula Rocha, 21 anos, que há dois anos ingressou no curso de nutrição, mas acabou desistindo e trocando de curso. ''Fiquei um ano fazendo nutrição. Eu não gostei porque achei que tinha poucas áreas para trabalhar e não me identifiquei. Hoje faço administração e acredito estar na área certa para mim'', conta Ana Paula.

 

Os estudantes de psicologia da Universidade Federal do Paraná, Luiz Felipe Cortez e Diego Ferreira, estão no 10º período do curso e, por conta de uma parceria com o Colégio Estadual Leôncio Correia, estão promovendo encontros para orientação vocacional aos alunos do 3º ano do ensino médio.

 

 Os alunos são motivados a pesquisar sobre as profissões que desejam seguir. (Crédito : Letícia Costa)

 

Nestes encontros são feitas diversas reflexões com os estudantes, tais como o significado das escolhas, as maneiras de se fazer uma boa escolha, o que é o mundo do trabalho. São levantadas também questões de autoconhecimento, testes psicológicos e, por fim, uma reflexão sobre o dia a dia das profissões que cada aluno escolheu.

 

''Ter orientação tem sido muito bom, porque você tem uma motivação para pesquisar, ver os lados positivos e negativos da profissão, e ver se é isso que você quer mesmo. Você pode debater as ideias e tem os professores pra ajudar, tirar as dúvidas que a gente tem", conta a estudante Maria Eduarda Stelmacki, 17 anos. Ela também diz que teve certeza sobre fazer o curso que já desejava.

 

Distribuída durante 10 encontros de, em média, 50 minutos, a orientação profissional ajuda cada um a entender melhor suas competências e habilidades.  ''Eu queria psicologia, foi importante porque eu estava com dúvida sobre o curso ser do jeito que eu pensava. E foi muito bom, tive certeza, é psicologia mesmo'', completa.

 

Já o estudante Thiago de Campos mudou de ideia em relação ao curso que queria fazer depois de iniciar a orientação profissional . ''Antes eu queria engenharia mecânica, mas depois do teste vocacional e de conversar com os professores, percebi que me encaixaria melhor em outros cursos. Hoje quero fazer arquitetura'', conta o jovem de 18 anos.

 

Assista ao vídeo para saber mais sobre a orientação vocacional.

 

 

Crédito: Letícia Costa

 

Please reload

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo