A importância da orientação profissional

Segundo Luiz Felipe Cortez, orientador no Colégio Estadual Leôncio Correia, a orientação auxilia no processo de escolha da profissão.

 

 Grupo de alunos do 3º ano do Colégio Estadual Leôncio Correria durante orientação. (Crédito : Letícia Costa)

 

Durante a formação estudantil no ensino fundamental e médio, os alunos não têm a oportunidade de discutir questões de autoconhecimento. Por este motivo, muitos estudantes somente depois de entrar na universidade percebem que aquele não era o curso que esperava.

 

É o caso da estudante de administração Ana Paula Rocha, 21 anos, que há dois anos ingressou no curso de nutrição, mas acabou desistindo e trocando de curso. ''Fiquei um ano fazendo nutrição. Eu não gostei porque achei que tinha poucas áreas para trabalhar e não me identifiquei. Hoje faço administração e acredito estar na área certa para mim'', conta Ana Paula.

 

Os estudantes de psicologia da Universidade Federal do Paraná, Luiz Felipe Cortez e Diego Ferreira, estão no 10º período do curso e, por conta de uma parceria com o Colégio Estadual Leôncio Correia, estão promovendo encontros para orientação vocacional aos alunos do 3º ano do ensino médio.

 

 Os alunos são motivados a pesquisar sobre as profissões que desejam seguir. (Crédito : Letícia Costa)

 

Nestes encontros são feitas diversas reflexões com os estudantes, tais como o significado das escolhas, as maneiras de se fazer uma boa escolha, o que é o mundo do trabalho. São levantadas também questões de autoconhecimento, testes psicológicos e, por fim, uma reflexão sobre o dia a dia das profissões que cada aluno escolheu.

 

''Ter orientação tem sido muito bom, porque você tem uma motivação para pesquisar, ver os lados positivos e negativos da profissão, e ver se é isso que você quer mesmo. Você pode debater as ideias e tem os professores pra ajudar, tirar as dúvidas que a gente tem", conta a estudante Maria Eduarda Stelmacki, 17 anos. Ela também diz que teve certeza sobre fazer o curso que já desejava.

 

Distribuída durante 10 encontros de, em média, 50 minutos, a orientação profissional ajuda cada um a entender melhor suas competências e habilidades.  ''Eu queria psicologia, foi importante porque eu estava com dúvida sobre o curso ser do jeito que eu pensava. E foi muito bom, tive certeza, é psicologia mesmo'', completa.

 

Já o estudante Thiago de Campos mudou de ideia em relação ao curso que queria fazer depois de iniciar a orientação profissional . ''Antes eu queria engenharia mecânica, mas depois do teste vocacional e de conversar com os professores, percebi que me encaixaria melhor em outros cursos. Hoje quero fazer arquitetura'', conta o jovem de 18 anos.

 

Assista ao vídeo para saber mais sobre a orientação vocacional.

 

 

Crédito: Letícia Costa

 

Please reload

Pessoas de todas as idades se rendem aos grupos de ciclistas

31.03.2020

Sem habilitação não tem trânsito seguro

17.03.2020

Um projeto de superação para além das quatro linhas

17.03.2020

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo 
 

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

Siga a Entreverbos

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias