• Por Sandro Ludtke

Apesar da polêmica com taxistas, Uber amplia alternativas de transporte

Uber tem provocado fortes reações de taxistas devido à concorrência

O Uber trouxe a possibilidade do passageiro escolher sua forma de locomoção. (Crédito: Sandro Lüdtke)

No Brasil, várias capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Porto Alegre e Belo Horizonte aderiram ao Uber como uma nova forma de transporte. O argumento dos que são contra o aplicativo é de que se trata de prática ilegal do serviço de táxi. Já a empresa diz oferecer uma nova forma de condução, que ajuda a gerar renda para as pessoas, com taxas mais acessíveis.

Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran), que fiscaliza os motoristas do Uber, o prefeito Gustavo Fruet ainda não aprovou a lei que prevê uma multa de R$ 1,7 mil para quem transportar passageiros sem permissão. O Uber entende que a legislação municipal é inconstitucional e como ainda não está sancionada, os motoristas podem trabalhar normalmente.

A Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara de Curitiba deu parecer favorável a um projeto de lei que pretende regulamentar o funcionamento de serviços de transporte privado e individual, como o Uber. Para virar lei o projeto precisa ser aprovado pelas comissões da Câmara e depois votado em Plenário em, pelo menos, dois turnos. Depois, cabe ao prefeito sancionar ou vetar a lei.

O motorista do Uber, Daniel Armena, 28 anos, trabalha com assistência no ramo de informática e nas horas livres usa o Uber como segunda opção de renda. Armena afirma que o serviço tende a se expandir, pois usuários exigentes solicitam este tipo de serviço devido ao conforto e à tarifação baixa.

"Minhas corridas estão aumentando a cada dia e os gastos extras que tenho como balas, água mineral e wi-fi são mínimos diante da satisfação em ver o cliente contente com o serviço”, completa.

O motorista Daniel Armena vê com bons olhos a liberação do Uber (Créditos: Sandro Ludtke).

De acordo com dados do Uber, a tarifa é calculada de acordo com a quilometragem e o tempo no veículo, fixada por tabela e calculada no taxímetro por quilômetro. Com o valor mínimo de R$ 5,00 por corrida, em Curitiba é o menor preço em vigor nas cidades brasileiras até agora. A corrida ainda custa R$ 0,25 por minuto e R$ 1,12 por quilômetro rodado. Caso haja cancelamento do serviço, é cobrada uma taxa de R$ 5,00.

Edson Lima usa frequentemente o Uber. (Crédito: Sandro Ludtke)

Edson de Lima, auxiliar de vendas, usa constantemente o serviço Uber e afirma: ”Com certeza é melhor que o táxi normal; esses taxistas não querem um serviço mais aprimorado e mais em conta do que o deles, preferem armar toda esta confusão em vez de parar e analisar onde e porquê estão perdendo clientes". Edson ainda complementa: "sou dono do meu bolso e eu quero ter a opção de escolher um serviço mais em conta”.

Vantagens para motoristas que queiram trabalhar com o Uber

  • Arca com o custo total do veículo, em alguns casos de luxo.

  • Não tem isenção de impostos e paga ISS como MEI (Microempreendedor Individual) ou Simples a cada nota fiscal emitida.

  • Não pagam taxas para órgãos públicos.

  • Não precisa ter licença da prefeitura para atuar. O motorista se cadastra no aplicativo e encaminha ao Uber alguns documentos, como CNH e certidão de antecedentes criminais.

  • Não exige curso específico.

Veja como funciona o app em alguns países

Estados Unidos

Primeiro lugar a regularizar o Uber. O estado norte-americano da Califórnia criou um registro para companhias de compartilhamento de veículos. Os motoristas que prestem serviço para essa empresa não precisam tirar uma nova licença para operar. Eles também não sofrem restrições sobre a quantidade de pessoas que podem transportar.

Lituânia e Austrália

A primeira, e até agora a única cidade europeia a criar uma legislação pró-Uber, é Vilnius, capital da Lituânia. Na Oceania, a capital australiana foi a primeira a enquadrar a empresa.

Nossa experiência com o Uber

A reportagem da EntreVerbos, a fim de comparar as vantagens e desvantagens, assim como as particularidades de cada serviço, fez um teste utilizando tanto o Uber quanto um táxi convencional. Confira como foi nossa experiência:

Saída: Biblioteca Municipal de Curitiba (Rua Marechal R. Cândido Lopes, 133 - Centro, Curitiba - PR)

Chegada: Aeroporto Afonso Pena (Avenida Rocha Pombo - Águas Belas, São José dos Pinhais - PR)

Uber

Às 15h41 solicitei o serviço Uber. O aplicativo reconheceu o endereço e levou poucos segundos para verificar um motorista nas proximidades. Na época do teste, a opção de pagamento era somente por cartão de crédito (a opção de pagamento em dinheiro começou a ser aceita no último dia 24).

O aplicativo promete mandar o carro mais próximo do local que você está situado. Pelo aplicativo, o motorista estava na região da Rodoferroviária de Curitiba. Quando o serviço foi solicitado, foi informado que o motorista levaria dez minutos para chegar.

O veículo utilizado foi um Renault Fluence, quatro portas, com ar-condicionado, rádio e wi-fi. O carro estava limpo e confortável. Foi oferecido água mineral e a opção de conectar o rádio ao próprio celular pessoal. O tempo da viagem do centro de Curitiba até o Aeroporto Internacional Afonso Pena, com conhecimento do trajeto, é de 35 minutos.

Com o Uber, o tempo foi de 48 minutos. O motorista aparentava não conhecer muito bem a cidade de Curitiba e demorou para achar o melhor caminho para pegar a avenida das Torres, sentido São José dos Pinhais. Por fim, colocou em seu GPS e seguimos rumo ao aeroporto.

O motorista dirigiu de forma tranquila, dentro do limite da velocidade. Porém, utilizou o celular como GPS em movimento, sem parar o carro. Preço final R$ 29,00.

Táxi

Às 16h58 foi solicitado o serviço. O endereço foi reconhecido automaticamente e já estava com a opção da forma de pagamento na tela, que tinha todas opções de pagamento (dinheiro,cartão de crédito e débito). O motorista levou cerca de dois minutos para chegar. O percurso até o aeroporto foi feito em 35 minutos, 15 minutos a menos que o serviço Uber.

Segundo o aplicativo de táxi, o motorista estava próximo da Rua Cruz Machado quando aceitou a corrida. O carro chegou em cinco minutos, tempo previsto pelo aplicativo. O veículo foi um Celta, quatro portas, com ar-condicionado e rádio. O carro aparentava estar vindo de uma recente viagem, pois o carpete estava sujo.

O motorista não teve problemas em se direcionar ao aeroporto e dirigiu calmamente, respeitando todas as regras de trânsito. Preço final R$ 41,90.