Mulheres conquistam espaço nos tatames

Em 2016, a procura feminina pelo Muay Thai cresceu 52%, o que equivale a 1.452 novas inscrições em academias filiadas à federação em Curitiba

 

 Professora de Muay Thai ensinando o golpe direto. (Crédito: Luiz Rocha)

 

 

De origem tailandesa, existente há em média 2000 anos, o Muay Thai é considerado a arte marcial em pé mais completa. Essa modalidade exige muita força corporal e os golpes são aplicados com os pés, joelhos, punhos e cotovelos, mas se engana quem classifica essa luta como agressiva e masculina. Pelo contrário, o Muay Thai está longe de ser uma luta grosseira e está cada vez mais popular entre as mulheres.

 

Se por muitos elas são consideradas o sexo frágil, durante os treinos elas não demonstram nada de vulnerabilidade ou fraqueza, mas sim muita força. Segundo dados da Confederação Brasileira de Muay Thai, a procura feminina, em 2016, cresceu 52% em relação ao ano anterior, o que equivale a mais de 1.452 novas inscrições em academias filiadas à federação, em Curitiba.

 

Evelyn Vieira, professora de Muay Thai, conta que, em 2007, quando ingressou na luta, sofreu preconceito com os próprios familiares e amigos. Ela ressalta que, nesse período, a modalidade ainda era muito associada aos homens. A professora lembra que, quando comentava que fazia Muay Thai, era recorrente o questionamento sobre o que ela estava fazendo num ambiente predominantemente masculino.

 

Atualmente, o cenário está se modificando. Carlos Moraes, instrutor de Muay Thai, diz que não é apenas o olhar feminino que está mudando em relação à luta. Os próprios professores e os homens praticantes estão mais preparados para receber as mulheres. “A distinção entre o público está no seu objetivo e não no sexo. Onde há interesse e dedicação não existe diferença”, esclarece. A aluna Sideneia Rosa é favorável ao treino de homens e mulheres juntos.  Ela diz que não vê isso como um problema, mas sim como um incentivo.

 

 Professora Evelyn Vieira treinado com o aluno Eder Koji Ogata (Crédito: Alice Gonçalves) 

 

A professora Evelyn destaca que autodefesa e a procura pelo corpo perfeito são os principais motivos que influenciam as mulheres na procura pela luta. No entanto, ela afirma também que há um crescimento significativo na procura feminina com objetivo de seguir uma carreira profissional. Muitas motivadas por ídolos, como Crys Cyborg, uma das maiores lutadoras de MMA do Brasil.

 

 

Um dia de treino

 

Antes de começar o treino é imprescindível a saudação ao mestre ou professor e aos colegas de luta. O respeito é o principal mandamento do Muay Thai. Não é tolerado que haja nenhum tipo de desrespeito entre os lutadores, independente do grau de conhecimento. Abdominais, polichinelos, flexões e corrida ao redor do tatame são alguns dos alongamentos que ajudam a aquecer o corpo para o treino pesado que está por vir. Logo de longe é possível ouvir a professora falando alto: “vamos lá, sem moleza”, frase que pode até soar meio grosseira, mas que, na verdade, é puro incentivo.  A concentração e disciplina são essenciais para que cada golpe seja realizado com perfeição.

 

 Saudação de início de aula (Crédito: Luiz Rocha)

 

Um dos principais fundamentos do Muay Thai é o respeito, dentro e fora da academia. Mais do que o desenvolvimento esportivo, esta modalidade visa também a formação cidadã. Veja abaixo algumas regras fundamentais para a prática dessa modalidade.

 

Os 10 mandamentos do Muay Thai

  1. Respeitar os pais;

  2. Respeitar o Mestre e/ou professor;

  3. Respeitar os mais graduados;

  4. Respeitar os mais fracos;

  5. Respeitar os mais fortes;

  6. Nunca agredir;

  7. Utilizar as técnicas do Muay Thai somente para defesa;

  8. Treinar sempre;

  9. Manter o caráter e a honra em primeiro lugar;

  10. Ter amor à equipe, pois é sua segunda família

 

 

 

 

Please reload

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo