Esportes da Mente: um xeque-mate no seu cérebro

Ao invés do treinamento de peso, praticantes desta categoria exercitam a atenção e raciocínio

 

 

Xadrez: O segundo esporte mais praticado no mundo. (Crédito: Nataly da Rocha)

 

 

Esporte não envolve apenas esforço físico. Competições voltadas ao desenvolvimento intelectual estimulam a concentração, atenção e raciocínio. Além disso, os chamados “Esportes da Mente” são capazes de ensinar diversos valores aos participantes. Seja por meio do tabuleiro ou de cartas, o jogo intelectivo exige também técnicas de memória muscular, coordenação e destreza.

 

“Os jogos da mente demandam um aspecto mental mais estável”, destaca a psicóloga Jessica Tonioti. Porém, as habilidades psicológicas têm a mesma importância se comparadas às atividades físicas. “Não tem como esperar de uma pessoa que nunca fez a prática do levantamento de peso, que ela carregue uma barra de 100 quilos de um dia para o outro. É algo que acontece gradualmente”, comenta. De acordo com Jessica, a memória é algo que deve estar em constante fase de treinamento.

 

A trajetória dos “Esportes da Mente” iniciou recentemente. A Associação Internacional de Esportes da Mente foi fundada em 19 de abril de 2005 e faz parte da Associação Geral das Federações Esportivas Internacionais. A instituição é formada pelas federações internacionais de xadrez, bridge, damas, go e pôquer. Com a intenção de reconhecer tal modalidade junto ao Ministério dos Esportes, está em fase de tramitação no Congresso Nacional, o Projeto de Lei Nº 5.840/16, elaborado pelos deputados Marco Antônio Cabral e Mariana Carvalho.

 

O papel do xadrez

 

O xadrez é o segundo esporte mais praticado do mundo. O pedagogo Wilson da Silva é integrante da Federação de Xadrez do Paraná e garantiu que o jogo é considerado como esporte-arte-ciência, pois envolve estas três áreas. “O xadrez é um dos esportes com maior representação mundial. Na arte, os jogadores muitas vezes buscam um arremate brilhante, ganhar com algum sacrifício de peça, buscando um final magnífico. Na ciência, a evolução das ideias na sociedade”, afirma.

 

O jogo de xadrez é algo indicado para pessoas de todas as idades. “O estudo e a prática sistemática desta modalidade auxiliam na organização do pensamento lógico do praticante”, revela o professor Wilson. 

 

Sobre a prática do jogo nas instituições de ensino, o pedagogo defende que a inclusão é conveniente. “O xadrez deveria ser uma atividade utilizada com maior frequência nas escolas”, relata. “Uma vez que o jogo estimula e desenvolve capacidades cognitivas relevantes”, finaliza. 

 

Poker: um jogo da mente e não de azar

 

O jogo de cartas sofreu preconceito durante muito tempo. O poker chegou a ser considerado ilegal e o caminho para oficializar os torneios foi vagaroso. Somente no ano passado é que a competição foi reconhecida como esporte e liberada pela justiça. A modalidade foi estimada como jogo intelectivo e hoje possui o mesmo status que o xadrez. Existem inúmeras modalidades de poker, mas atualmente, a mais conhecida e praticada em todo o mundo é o Texas Holdem no formato de torneio. 

 

Segundo o presidente da Liga Curitibana de Texas Holdem, Luiz Geraldo Campêlo, a  prática da modalidade em questão exige um enorme número de tomadas de decisões, em cada uma das mãos jogadas."Vários aspectos do cotidiano, tanto no âmbito pessoal como profissional, são aprimorados", comenta. Além de ser uma opção muito agradável de lazer, o poker melhora a autoestima, o raciocínio matemático, o convívio social, e inclusive, o respeito ao adversário. O poker é uma atividade das mais democráticas que existem e a única exigência para que a pessoa possa participar dos torneios da Liga Curitibana é ter mais de 18 anos e pagar sua inscrição.

 

Para participar do torneio de Texas Holdem, o praticante deverá pagar uma taxa de entrada. Para o jogo, todos recebem a mesma quantidade de fichas. Elas não possuem valor monetário, apenas valores de referência para as apostas. "O valor mínimo obrigatório das apostas aumentam gradativamente durante o torneio, em intervalos de tempo pré-determinados", explica. Quando o participante perde todas as suas fichas, ele está automaticamente eliminado. Para vencer, um único jogador deve permanecer com todas as fichas. "Geralmente são premiados 10% do número de inscritos e a premiação é escalonada, sendo que o vencedor ganha mais do que o 2º colocado, o 2º mais que o 3º, e assim por diante", completa Luiz Campêlo. 

 

Please reload

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo