Lugar bom de se viver. Ou não?

Curitiba guarda motivos para se gostar ou não de morar

 

 Estufa do Jardim Botânico: belas paisagens orgulham os que vivem em Curitiba. (Crédito: Tuba do Sul)

 

Curitiba é uma cidade conhecida por suas inúmeras atrações turísticas, principalmente praças e parques, e seu cuidado com o meio ambiente. Segundo a letra do hino municipal, escrita por Ciro Silva, a capital paranaense “tem a imagem de um paraíso na Terra”, e “viver nela é um privilégio que goza quem nela está”. E muitos dariam a vida para morar no local. Por outro lado, há quem já more e não goste disso.

 

Entre os pontos positivos da cidade, além de suas belas paisagens e sua preocupação com a natureza, está seu alto índice de qualidade de vida. Já entre os negativos, destacam-se as condições climáticas. Veja na enquete a seguir o que a população acha da cidade:

 

(Crédito: Arthur Neves)

 

 

“Um pouco triste, com um clima horrível”, diz Leomar Marchesini

 

A coordenadora do Serviço de Inclusão e Atendimento aos Alunos com Necessidades Educacionais Especiais (SIANEE) do Grupo Uninter, Leomar Marchesini, conta que tem vontade de viver em outra cidade. “Acho Curitiba um pouco triste, com um clima horrível, para mim que detesto o frio”, diz.

 

“É uma cidade muito limpa e organizada, o que enche de orgulho a todos nós, curitibanos. Entretanto, gostaria de viver numa cidade com praia, e de clima quente”, comenta Leomar. Ela conta que gosta muito de Natal, a capital do Rio Grande do Norte. “Ainda é pequena, mas tem tudo que precisamos para uma vida com qualidade e um pouco mais de alegria no cotidiano.”

 Leomar Marchesini, coordenadora do SIANEE/Uninter. (Crédito: Tuba do Sul)

 

Como exemplos de pessoas conhecidas também descontentes com a vida na cidade, a coordenadora lista duas: “Minha filha não gosta de viver em Curitiba por razões parecidas com as minhas, clima ruim e falta de praia. Conheço também um jornalista amigo de infância, que foi morar no Rio de Janeiro para fugir do frio e do tempo nublado de Curitiba. Mora no bairro da Urca e sente-se feliz da vida, apesar da atual violência urbana daquela cidade.”

 

Embora as baixas temperaturas e o céu cinzento possam desagradar alguns moradores da cidade, há outros fatores que precisam ser considerados. O psicólogo Eduardo Chierrito de Arruda pontua que o clima é uma variável presente nas alterações de humor, contudo não pode ser analisada como exclusiva ou determinante, já que a própria dinâmica emocional representa alterações neurológicas e dependem da história biográfica pessoal, da aprendizagem sobre os afetos e atitudes e das relações sociais, econômicas e culturais.

 

Arruda confirma o fato que climas diferentes estimulam alterações biológicas e psicológicas: "O sol, por exemplo, influência na liberação de determinados neurotransmissores, como a dopamina e serotonina, atrelados ao prazer, disposição e demais afetos". Outra questão apontada pelo especialista diz respeito à "depressão sazonal", que consiste em alterações de humor específicas,  que possui correlação com dias frios prolongados e falta de incidência solar, justificando, assim, a fototerapia como tratamento, por exemplo.

 

Ainda segundo Leomar, além do clima, outro motivo comum para não se gostar da cidade é o comportamento dos curitibanos. “Acham que são fechados e sentem dificuldade em fazer amizades”, diz. Porém,  ela mesma não tem tal pensamento: “justamente é este jeito de ser do curitibano o que mais me agrada. E discordo que seja difícil fazer amigos aqui. Pelo contrário, acho que o curitibano acolhe melhor as pessoas que vêm de fora do que seus próprios conterrâneos.”

 

 

Curitiba entre as melhores

 

Em abril passado, a consultoria Macroplan divulgou um ranking das melhores capitais brasileiras para se viver. Além de ser a primeira colocada na classificação geral, Curitiba aparece como a melhor nos quesitos saúde e saneamento/sustentabilidade.

 

Já em setembro de 2016, um levantamento do Observatório das Metrópoles, coordenado pela UFRJ, colocou a cidade como a capital com o terceiro maior Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU), atrás apenas de Goiânia (GO) e Vitória (ES). Os cinco critérios avaliados nesse estudo foram: mobilidade urbana, condições ambientais, condições habitacionais, serviços coletivos urbanos e infraestrutura.

 

Por outro lado, Curitiba ainda deixa a desejar em questão de criminalidade, aparecendo em posições intermediárias nos dois últimos Anuários Brasileiros de Segurança Pública: foi considerada a 11ª capital mais violenta em 2014 e a nona em 2015. Recentemente, a cidade foi apontada por uma ONG mexicana como uma das 50 mais violentas do mundo.

 

O clima é um fator que divide opiniões sobre viver em Curitiba. Localizada a uma altitude de 945 m, a capital paranaense é considerada a mais fria do Brasil. Sua temperatura média no inverno é de 13°C. É também uma cidade chuvosa, com índice pluviométrico de 1500 mm/ano. Os dados estão disponíveis no site oficial da Prefeitura.

Please reload

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo