TI Verde: um caminho para reduzir o lixo

A proposta visa diminuir os impactos causados no meio ambiente por causa do descarte de eletrônicos

 

As placas de computadores são separadas dos demais produtos (Crédito: Priscila Michele)

 

Uma pesquisa recente revela que nos próximos quatro anos o lixo eletrônico gerado pela população de cada região vai crescer entre 5 e 7% ao ano, com quase 4,8 mil quilo toneladas previstos até 2018. O estudo E-waste na América Latina: Análise Estatística e Recomendações de Políticas Públicas,  publicado em novembro em 2015 pela Groupe Spécial Mobile (Sistema Global para Comunicações Móveis- GSMA) e pelo Instituto para Estudos Avançados de Sustentabilidade da Universidade das Nações Unidas (UNU-IAS), aponta que em 2014 a América Latina produziu 9% de todo lixo eletrônico do mundo, equivalente a 3,9 mil quilos toneladas.

 

De acordo com os dados deste estudo, a maior parte do lixo eletrônico da América Latina é gerada no Brasil e no México que produziram, respectivamente, 1,4 mil kt e 1 mil kt de lixo eletrônico, devido às suas grandes populações. No entanto, uma nova forma de minimizar esse problema  vem migrando para o Brasil: as empresas de TI Verde ou Green IT, conceito ou expressão que tem sido utilizada pelo setor de tecnologia para incorporar a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade. Essas empresas visam, através da sua área de tecnologia da informação, criar ferramentas ou ações para reestruturar outras empresas para se tornarem mais sustentáveis, econômicas e com uso de seus equipamentos com maior durabilidade.

 

O conceito surgiu nos Estados Unidos, em 1980, com a preocupação que se tinha sobre o crescente uso de computadores pessoais e seus destinos. A EntreVerbos entrevistou o coordenador de contas da Encript Soluções de TI, em Curitiba, Wendeu Marinho, que ressalta como aderir a esse conceito e a importância deste trabalho. Acompanhe o áudio.

 

Assim como ressalta Marinho, o TI Verde não é pautado apenas na economia, mas em toda uma conscientização da reciclagem desses produtos. É indispensável trabalhar com campanhas educativas sobre a manutenção e o descarte da população sobre o lixo eletrônico (tablets, pcs, notebooks, celulares, etc.), o lixo da linha branca (geladeiras, fogões, ar-condicionado, etc.) e o lixo reciclado (papel, alumínio, plástico, vidro, etc.). Este trabalho, seja com o produtor, seja com o consumidor, permite que o lixo seja descartado corretamente e possa ser reutilizado e reciclado.

 

Funcionário realiza separação dos componentes do eletrônico. (Crédito: Priscila Michele)

 

Reduzir, reutilizar e reciclar

 

A Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010, introduzida na Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), destaca a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Tal aspecto tem ligação direta com a logística reversa, que permite que o processo de criação de um produto possa ser revertido após seu descarte por meio de reutilização e reciclagem. A redução do seu uso, ou seja, o aumento de vida útil para que dure mais e permaneça com seu consumidor por um bom tempo, é o que permite que se torne desencadeador a produção do mesmo.

 

A EntreVerbos entrevistou o diretor Marlon Ravata, da empresa M1 Info Gerenciadora de Resíduos Eletrônicos, responsável por trabalhar com logística reversa em Curitiba e demais regiões:

 

 

A lei da PNRS ainda institui que deve haver um descarte correto desse tipo de material sem causar nenhum impacto ambiental. As empresas que colaboram com o uso correto da remoção desses elementos e que destinam seus lotes de lixo eletrônico para espaços de reciclagens recebem um certificado da sua correta destinação. 

 

(Crédito: Priscila Michele)

Please reload

Pessoas de todas as idades se rendem aos grupos de ciclistas

31.03.2020

Sem habilitação não tem trânsito seguro

17.03.2020

Um projeto de superação para além das quatro linhas

17.03.2020

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo 
 

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

Siga a Entreverbos

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias