• Por Camila Mattiollo

60 minutos para decifrar enigmas: conheça os escapes games

Trazidos do mundo virtual, os jogos de escapada trabalham o entretenimento e a cooperação

Imagem de uma das salas denominada "prisão". (Crédito: Divulgação/Assessoria de Impresa Escape 60')

Trancado em uma sala com seus amigos, você tem 60 minutos para decifrar as pistas e enigmas e sair da sala antes do tempo acabar. Esse é o objetivo dos escape games ou jogos de escapada. Vozes, desafios e charadas fazem parte do jogo adaptado do mundo virtual para o mundo físico.

Grupos de quatro a 16 jogadores são colocados dentro de salas temáticas e possuem até 60 minutos para achar a saída, procurando pistas, abrindo travas, resolvendo enigmas, encontrando objetos ocultos. Tudo isso acontece com os celulares desligados, enquanto um relógio dentro da sala marca o tempo. Após o horário exceder, os jogadores são retirados das salas.

As salas simulam diversos ambientes como corredores da morte, bancos, prisões, entre outros. Estas também podem abordar um tema específico como Lava-jato ou CSI (investigação criminal). Os escape games possuem unidades espalhadas por todo o Brasil, em Curitiba especificamente, há o Puzzle Room e o Escape 60'.

A estudante Lorena Borges, 18 anos, conta que conheceu os escape games por acaso, mas que já estava familiarizada com eles por meio da internet. “Estava assistindo um programa de televisão e vi uma reportagem a respeito dos jogos; no mesmo momento tive vontade de conhecer e falei com meu namorado, que sempre teve o costume de jogar esse estilo de jogo pelo computador”.

Lorena ainda afirma que os jogos são pouco divulgados e deveriam ter mais visibilidade. Para ela, os escape games são ótimos passatempos, apesar do preço não ser sempre acessível.

Escape 60'

O Escape 60’ chegou ao Brasil como uma opção diferenciada de entretenimento, buscando aprofundar habilidades e o intelecto dos participantes. Após conhecer o modelo de negócios que atravessou fronteiras, os brasileiros Jeannette Galbinski, Márcio Abraham, José Roberto Szymonowicz e Karina Papautsky tiveram a ideia de trazer o empreendimento ao Brasil, mais especificamente para a cidade São Paulo.

Fachada Escape 60' da unidade em São Paulo (Crédito: Divulgação/Assessoria de Imprensa Escape 60')

Até hoje focado em parques de diversões, cinemas, teatros e boliches, o Escape 60’ possui diversas salas com temas como: salvem nossas almas (S.O.S.), PS: tenha medo!, escape kitchen e corredor da morte. Cada unidade dos jogos possui no mínimo quatro salas.

Segundo a assessoria de imprensa do Escape 60’, estima-se que apenas 20% dos jogadores consigam decifrar os enigmas e vencer o desafio. No Brasil, os recordistas entram para o ranking de uma Galeria da Fama, estimulando de uma forma divertida a concorrência entre os jogadores.

A equipe de cenografia Ahcervo, com a colaboração da arquiteta Karina Papautsky, foi responsável pelos cenários e decoração das salas. “Ficamos muito felizes com os resultados da decoração dos espaços, que remetem de forma fiel aos temas designados para as salas. Cada peça tem seu significado e uma utilidade [...]. A ideia foi envolver e transportar os participantes para um mundo lúdico e interativo”, relata Karina.

Jeannette Galbinski diz que esse é um nicho pouco explorado no Brasil e tem grande potencial para ser explorado, pois há poucas oportunidades de ações interativas nas áreas de marketing e recursos humanos. “O trabalho de pesquisa e testes, que incluiu o desenvolvimento do projeto e os temas das salas e suas histórias, permite que os participantes tenham uma verdadeira experiência sensorial e trabalhem em equipe, [...], até conseguir alcançar o objetivo proposto, em 60 minutos”, conta Márcio Abraham, sócio e diretor da área de inovação.

Estimulando o senso de coletividade

O psicólogo Rodrigo Fricate conta que há muitos benefícios presentes nos escape games, como o desenvolvimento de habilidades de liderança, trabalho em equipe, raciocínio lógico, entre outros. Os desafios proporcionados exercitam e desenvolvem as habilidades dos participantes enquanto se divertem jogando.

Além dos benefícios, Fricate diz que, como qualquer outro jogo, é importante respeitar a classificação etária que muda entre empresas e suas temáticas. “Tendo em vista que é um jogo recente, não existem pesquisas contundentes que demonstram que os escape games causem algum efeito negativo no psicológico dos participantes. Fato pouco provável tendo em vista a natureza do mesmo”, relata.

Os jogos não trazem benefícios apenas para as crianças que estão em fase de desenvolvimento, mas também para os adultos. Estes se envolvem nos desafios e treinam suas habilidades da mesma forma que as crianças. Fricate ressalta que a grande questão é a dificuldade social para algumas pessoas compreenderem que, da mesma forma que as crianças, os adultos também podem aprender e se beneficiar com jogos, incluindo os escape games.

Trazer a realidade virtual para o mundo físico permite o contato das pessoas, com novos estímulos e experiências ricas. Há também a necessidade de colaboração com o próximo, permitindo um senso de coletividade, hoje tão necessário e escasso na sociedade. “Existem também os benefícios físicos: realizar atividades desta natureza trazem ganhos à saúde como um todo. Além de combater o sedentarismo, durante as atividades físicas são secretados hormônios necessários para nossa qualidade de vida e inclusive sensação de bem-estar”, completa o psicólogo.

Serviços em Curitiba:

Escape 60':

http://escape60.com.br/ - (41) 3408-3060

Avenida Presidente Getúlio Vargas, 1405 – Água Verde – Curitiba, PR

Puzzle Room:

http://www.puzzleroom.com.br/curitiba/o-jogo - (41) 4101-2032

Rua Visconde de Nacar, 743 – Centro – Curitiba, PR

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo 
 

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

Siga a Entreverbos

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias