Brasil tem um dos maiores cadastros de medula óssea do mundo

Entretanto, a chance de encontrar um doador de medula óssea compatível pode chegar a um em cem mil

 

A medula óssea pode ajudar no tratamento de diversas doenças (Crédito: Divulgação/Instituto Nacional do Câncer)  

 

Um novo levantamento feito pelo Ministério da Saúde mostrou que 4 milhões de brasileiros são doadores de medula óssea no país. Esse número fez com que o Brasil chegasse ao terceiro maior cadastro de doadores no mundo.

 

O ano de 2016 teve um crescimento de 27% no número de transplantes entre pessoas que não são da mesma família, comparado aos dados de 2015. Porém, apesar do crescimento do número de transplantes, alguns fatores interferem para que esse número não seja ainda maior.

 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a cada cinco possíveis doadores um não é encontrado. Isso acontece, muitas vezes, porque as pessoas não atualizam seu cadastro quando mudam de endereço ou trocam de telefone. Os bancos de sangue do país são parceiros ao Ministério da Saúde para o cadastramento de doadores, o que é uma forma de facilitar o cadastro e uma tentativa de incentivar novos doadores.

 

Para Jaqueline de Paula, enfermeira e supervisora do setor de atendimento do doador do Hemobanco de Curitiba, o intuito de muitas campanhas e divulgações é para que se torne fácil encontrar possíveis doadores. “Qual a ideia desse banco, de tanta campanha? É ter um banco rico. Quanto mais pessoas estiverem cadastradas lá, mais fácil de encontrar um doador compatível", destaca.

 

 

O que é medula óssea?

 

Medula óssea é um tecido esponjoso mole que é encontrado dentro dos ossos. E é a produção de células hematopoiéticas. Nessas células encontram-se hemácias ou eritrócitos, glóbulos brancos granulócitos e mielócitos e plaquetas como nas plaquetas. Elas estão localizadas no esterno (meio do peito), na pelve (osso do quadril) e no fêmur (osso da coxa).

 

 

Como se tornar um doador?

  • Ter entre 18 e 54 anos de idade e estar em bom estado de saúde

  • Procurar as centrais para preenchimento de cadastro

 

Procedimento

  • Inicialmente será tirado um pequena quantidade de sangue (5ml) para realização de teste HLA ( exame que analisa as características genéticas dos seres humanos)

  • Os dados ficaram armazenados no banco de dados do REDOME (Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea) e à disposição do serviço de busca de doadores

  • Caso surja um paciente compatível, o doador será convocado para realizar novos exames para avaliar o estado de saúde

  • Caso esteja tudo certo com o doador, ele será convocado a fazer a doação (caso queira)

Entenda como é feito todo o processo, desde o cadastramento até a doação neste áudio.

 

 

A doação é feita com punções no osso da bacia sob anestesia ou pode ser feita através da retirada pelo sangue, na técnica chamada aférese. A técnica mais eficiente será decidida através de exames pelos pela equipe transplantadora.

 

Estrutura óssea completa (Crédito: APCL- Associação portuguesa contra leucemia)

 

Claudete Schevenger está cadastrada como doadora há 10 anos e, mesmo que nunca tenha sido chamada, ressalta a importância de manter o cadastro atualizado. “Tento manter meu cadastro sempre atualizado. Eu, como enfermeira, vejo o quanto esse gesto é importante; infelizmente já vi muitos pacientes na busca incansável por um doador.”

 

 

 

 

Please reload

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

Restaurante usa sobras de alimentos para gerar energia

21.10.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo