Cervejas artesanais fazem sucesso entre os curitibanos

Cidade ganhou o título de Capital da Cerveja Artesanal pela qualidade e diversidade dos rótulos

 

 Em algumas cervejarias, você carrega o seu cartão e se serve da cerveja sozinho. (Crédito: Francieli Nowakowski)

 

A cerveja se tornou uma das bebidas mais populares no Brasil. Seus ingredientes básicos são malte, lúpulo, água e leveduras, mas também pode conter outros complementos, como, por exemplo, frutas, açúcares, condimentos, cevada e milho. Segundo pesquisa feita com internautas, pelo Conectaí, 68% das pessoas haviam consumido cerveja nos últimos 30 dias. No mesmo período, a segunda bebida mais consumida foi vinho.

 

Algumas das marcas mais vendidas no país levam xarope de milho na receita - ingrediente que não faz parte da composição original, mas deixa a bebida mais leve e diminui os custos de produção. Na contra mão, é possível perceber que mais pessoas estão preocupadas com a qualidade da cerveja e dispostas a produzi-la.

 

Olindo Teixeira Netto é analista de sistemas. No final do expediente, ele é um dos que faz a sua própria cerveja para beber com os amigos. Olindo conta que começou a fabricar há alguns anos, na expectativa de que a produção própria sairia mais barato. Depois de algum tempo, a atividade se tornou um hobby.

 

Olindo afirmou que o preço da produção de uma cerveja do tipo Pilsen, é similar ao valor encontrado em supermercados. Já para produzir do tipo IPA (India Pale Ale),  o custo aumenta. "Se você for falar de uma IPA, você vai precisar de muito lúpulo. Assim, o seu custo de produção vai ser mais alto. Então, você não paga caro na cerveja, você paga o que custa para produzir cada estilo" afirma.

 

Os especialistas classificam as cervejas de acordo com o processo de fermentação. Existem basicamente 3 grupos: Ale, Lager e Lambic, que reúnem vários tipo. Segundo os apreciadores, os tipos mais consumidos são Pilsen e IPA. Pilsen é uma cerveja da família lager, é o tipo mais consumido do mundo e apresenta teor alcoólico entre 4,2% e 5,4%. O tipo IPA contém teor alcoólico entre 5,5% e 7,5% e tem como principal característica o amargor, por conter uma quantidade maior de lúpulo.

 

 

Bares em Curitiba oferecem torneiras de cervejas artesanais para todos os gostos. (Crédito: Francieli Nowakowski)

 

Segundo Rafael Rodrigues, analista de sistemas e apreciador de cerveja artesanal há pelo menos 8, o tipo Pilsen, tem o fator de preço mais acessível. Porém, o IPA é um pouco mais encorpado e, por ser mais amargo e forte, se tornou o preferido dos apreciadores.

 

Ian Suguimati Pechnick é engenheiro florestal e também fabrica cerveja em casa. Para ele, cervejas artesanais começaram a fazer sucesso pela maior diversidade de escolha. A difusão e expansão de cervejarias menores possibilitou que cervejas diferentes atingissem novos públicos. Ele também acredita que o crescimento de bares de rua que vendem esse tipo de cerveja também colaborou. O cervejeiro diz que o ingrediente mais difícil de conseguir é o lúpulo, que ele carinhosamente apelidou de “alma da cerveja” - porque é o que dá a real diferença entre o sabor, amargor e acidez. Hoje, existe uma grande variedade de lúpulo no mercado, e alguns deles precisam ser importados.

 

O processo de fabricação da cerveja é longo e delicado. Começa com a compra dos ingredientes (os insumos precisam estar frescos), que são difíceis de encontrar em pequenas quantidades. Para Ian, a maior dificuldade está na fermentação, que é um processo químico e depende de temperaturas específicas, além de muita atenção em todas as etapas. Este processo dura em média 50 dias.

 

Curitiba é referência quando se trata de cerveja artesanal no Brasil. Na cidade, e em sua região metropolitana, surgiram pequenas cervejarias que hoje são vencedoras de vários prêmios nacionais, entre eles o de Melhor Cerveja do Brasil e de Melhor Cervejaria do BrasilBodebrown, Way Beer e Bierhoff destacam-se entre as demais. Toda essa visibilidade possibilitou a criação da Lei Nº 15063/2017, que destacou Curitiba como a capital da Cervejaria Artesanal do Brasil e determinou a última semana de agosto, como a semana da cerveja artesanal em Curitiba.

 

Para quem deseja se tornar um especialista em cerveja e aprender todos os processos de produção, existem vários cursos profissionalizantes sobre métodos artesanais, entre eles, se destacam dois modelos: o curso de Sommelier e o de produção. O primeiro é ideal para quem quer se tornar um especialista, conhecer as características e garantir a qualidade do líquido. Já o curso de produção ensina o processo de fabricação das cervejas, com matérias sobre História da Cerveja, matérias primas e a fabricação em si.

 

Festivais de cerveja artesanal

 

 

Curitiba faz jus ao nome de Capital da Cerveja Artesanal, com eventos semanais, que contam com rótulos renomados.  Além das cervejas, os festivais oferecem churrascos, shows e food trucks. Em média, são encontrados 14 opções de cervejas em cada evento (sempre com os tradicionais Pilsen e IPA), que ocorrem em diversas cervejarias, bares e pubs.

 

O principal intuito desses festivais é trazer aos apreciadores os mais diferentes tipos de cervejas que vem surgindo no mercado. Em abril, um dos eventos ocorreu na Bodebrown e contou com a participação de bandas locais e food trucks. No local, a cervejaria disponibilizou ao público uma espécie de cartão de crédito de cerveja, no qual os consumidores puderam carregar o valor que queriam e se servir nas torneiras, podendo escolher os sabores e tipos disponíveis no cardápio.

 

 

Os apreciadores podem servir a própria cerveja e controlar a quantidade que querem beber, o que possibilita experimentar mais marcas e tipos. (Crédito: Francieli Nowakowski) 

 

Além dos festivais, a interação entre os apreciadores ocorre também de forma virtual. O aplicativo Untappd (disponível para Android e IOS) funciona como uma rede social da cerveja. Ele serve para comunicar-se com outros apreciadores, compartilhar informações e características sobre a cerveja que está bebendo ou que quer beber.

 

Na medida em que o usuário vai experimentando novos rótulos, e marcando no app, são sugeridos novos tipos de cerveja, além disso, ele mostra estabelecimentos que possuem determinados tipos de cerveja e horários de funcionamento. Os membros da rede social podem ainda fazer avaliações e publicar fotos dos rótulos. O aplicativo é alimentado exclusivamente com informações dos usuários e pode ser sincronizado com seu perfil do Facebook.

 

Please reload

Pibid: programa educacional valoriza a formação de docentes

02.12.2019

Escola de Karatê em São Miguel do Iguaçu nasce na persistência e dedicação

25.11.2019

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo