Persistência, cooperação e muita lama no Desafio Braves

Criar um conjunto de emoções e proporcionar uma experiência de vida são alguns dos principais objetivos deste teste de resistência coletivo.

 

Participantes do Braves mostrando colaboração e parceria para concluir um obstáculo (Crédito: Divulgação Prime Shape).

 

 Já pensou em participar de um esporte em que não exista vencedor e nem concorrentes? Quebrando o paradigma das competições tradicionais, o Desafio Braves é uma prova de corrida de obstáculos que pretende testar seus limites tanto físicos como psicológicos.

 

Ela é fundamentada em treinamentos militares, sendo recomendável que o participante não tenha medo de escuro, altura e nem de ambientes fechados. Com 50 obstáculos e aproximadamente 6km de prova, em cada edição, a superação pessoal está acima de qualquer outra coisa, inclusive da vitória. Dentro do percurso, existem diversos desafios como, por exemplo, paredes de madeira, cordas, tobogãs, piscinas de gelo, fogo e uma enorme quantidade de lama.

 

De acordo com as regras da prova, não existe um campeão.  Ao terminar a competição, independentemente do tempo que o competidor precisou para finalizar o percurso, a organização do Desafio Braves considera você um vencedor, com direito à medalha. Isso faz com que desperte dentro de cada um o desejo de ultrapassar seus próprios limites e treinar seu condicionamento físico para que termine a prova cada vez em menos tempo possível.

 

Para Antônio Alves Pinto, 59 anos, que, de um total de 2.500 participantes, terminou a prova em 407º lugar, a escalada do paredão escorregadio foi o obstáculo mais difícil. Mesmo assim, ele terminou a prova e garantiu sua medalha. Ele é uma comprovação de que não existe idade para participar deste Desafio.

 

O personal trainer Thiago Muller, conta como é importante para o desafio pessoal as provas e os obstáculos do Braves (Créditos: Aliana Machado).


O personal trainer Thiago Muller, que participou dos dois últimos Desafio Braves - o primeiro concluído em 5h20 e o último em 3h30 -, comenta que para uma prova dessas, ”é fundamental a orientação de um profissional, pois esse esporte em específico é um conjunto de habilidades: destreza, força, resistência, equilíbrio e principalmente persistência.” Portanto, quem vai participar desse Desafio tem que ter de tudo um pouco, pois “é uma prova longa onde se exige todas as habilidades de um ser humano”, afirma.

 

”É um esporte bem difícil, tanto que tem participantes que desistem na metade do percurso, por não ter resistência e, principalmente, um psicológico preparado. Resumindo: para participar do Braves e concluir a prova, tem que ser um ser humano completo, saber nadar, saber correr, escalar, etc.”,  finaliza Thiago.

 

Será que as mulheres também aceitam esse Desafio?

 

                                                Participante Andréia Pinheiro, após as provas do Desafio Braves (Crédito: Arquivo pessoal)

 

Andréia Pinheiro, 35 anos, que faz exercícios físicos há 2 anos, participou do último Desafio Braves, no dia 2 de abril, e não apenas já tem a convicção de que irá participar do próximo, mas também vai se preparar melhor para ele. “Foi um desafio muito grande para mim e quero fazer melhor ainda”, declara. Ela conseguiu concluir a prova e já está esperando a próxima inscrição.

 

Em entrevista para a EntreVerbos, Andréia relatou que, a partir do momento que decidiu participar, ninguém tentou fazê-la desistir por ser mulher.  Ao contrário, “as pessoas sempre falavam que eu era corajosa em fazer uma prova dessas, pois é difícil”, comenta.

 

A competidora Andréia diz que por ser uma prova com obstáculos difíceis, tinham muitas mulheres e de várias faixas etárias participando para valer do Desafio. Em sua percepção, as provas foram “iradas” e muito bem elaboradas e ainda comenta que as misturas entre subir, descer e pular na água foram demais. 

 

“Sempre em ritmo de cooperação”, durante toda a prova, ela e as demais meninas que estavam juntas receberam ajuda da sua equipe e até mesmo dos rapazes de outras equipes. Ela ainda fala que em nenhum momento ocorreu assédios e piadas durante o Desafio.

 

No final, Andréia dá um conselho para as mulheres que desejam participar, mas não tem coragem ou acham que o Desafio Braves tem provas apenas para homens: “Façam, tentem, o Desafio é pesado, exige garra e determinação, mas quando se está lá, a adrenalina é muito grande. Aparecem forças que nem sabemos que temos e é muito gratificante superar seus limites, vencer obstáculos que nem imaginávamos conseguir. Vale muito a pena.” 

 

 

Please reload

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

Restaurante usa sobras de alimentos para gerar energia

21.10.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo