Abandono escolar: por que os alunos desistem e não voltam?

Pesquisa aponta que o número de alunos que abandonam o estudo durante o ensino médio alcança mais de 1 milhão e chega a quase 1 milhão e 500 mil no ensino fundamental

 

Pesquisa do IBGE revela que a evasão escolar chega a quase 1 milhão e 500 mil  no ensino fundamental. (Crédito: Pixabay).

 

Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os principais motivos para que a evasão das escolas cresça, cada vez mais entre os alunos até o 5º ano, são as condições socioeconômicas, culturais, geográficas, didáticas e a baixa qualidade do ensino em algumas instituições públicas e privadas. Já entre os alunos do 6º ao 9º ano e ensino médio as razões mais apontadas são a distância da casa até a escola, falta de transporte escolar, falta de um adulto que a leve até escola, falta de interesse e até mesmo doenças e/ou dificuldades específicas dos alunos. A pesquisa também aponta que muitos retornam a sala de aula e encontram barreiras que os deslocam em relação a idade/série/ano e, como consequência, há chance de nova evasão.  

 

 A evasão escolar durante o ensino médio alcança mais de 1 milhão, de acordo com o IBGE ​(Crédito: Pixabay)

 

Gabriel de Assis Gonçalves, que abandonou a escola no ensino fundamental, disse que não se sentia atraído pela escola. Além disso, afirmou não concordar com a maneira pela qual os alunos são ensinados. Para ele, não funciona assim: “sala de aula era o lugar onde eu me sentia retraído, pois, apesar de ter interesse, perguntava, mas as respostas direcionadas a mim não me saciavam. Aquilo me irritava. Não entendia a necessidade de ir até lá, aprender daquela forma que não funciona para mim.”

 

Depois vieram as reprovações por faltas e, consequentemente, a diferença de idade entre os colegas foi determinante para que Gabriel decidisse abandonar a escola. Ele disse que sua mãe foi contra e sempre o alertou sobre a necessidade de dar continuidade aos estudos. 

 

Mais divertida e menos maçante

 

 A especialista em psicopedagogia Heloísa Monte Serrat entende que, primeiramente, a evasão escolar não é localizada, não tem idade, nem classe. Assim como a pesquisa do IBGE mostra, a psicopedagoga percebe que as motivações para a não permanência de estudantes nas escolas são diferenciadas.

 

 

A especialista explica que, quando o aluno tem opções diferenciadas e lúdicas para resolver os desafios propostos a ele enquanto aprendiz, a permanência em sala de aula pode se tornar menos maçante, ponto importante para segurar o estudante na ativa. “O fato de ter superado esses desafios causará o prazer de sentir-se capaz, de poder compreender algo antes nem imaginado, elevando a autoestima dos aprendizes. O prazer está na convivência, na vivência das relações, na vivência dos conflitos e possibilidade de superação dos mesmos", afirma.

 

Heloísa acredita que as instituições precisam ter consciência de que são compostas por sujeitos diferentes entre si, e respeitar suas histórias, tradições familiares, além das formas de aprendizagem de cada um. Na prática, as escolas deveriam abrir uma via de duas mãos para o conhecimento e, ao mesmo tempo, estar com disponibilidade para ouvir o que os estudantes têm a dizer sobre determinado assunto.  "Quanto mais a escola se colocar no contexto da comunidade que a frequenta, mais próxima estará dos seus aprendizes; agindo assim pode ser que a evasão escolar em todas as instâncias, diminua", completa.

 

 

 

 

 

Please reload

Pessoas de todas as idades se rendem aos grupos de ciclistas

31.03.2020

Sem habilitação não tem trânsito seguro

17.03.2020

Um projeto de superação para além das quatro linhas

17.03.2020

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon
Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo 
 

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

Siga a Entreverbos

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias