Videoaulas: uma nova forma de ensinar e aprender

Com o uso de recursos multimídia, professores e alunos reinventam o ensino

 

Ensinar e estudar por meio de vídeos já é comum. (Crédito: Camila Toledo)

 

Aprender e ensinar não são mais sinônimos de sala de aula. Em casa, no celular, no computador, onde e como você quiser pode estudar e passar conhecimento. Por meio de videoaulas professores e alunos descobriram uma nova maneira de ensino.

 

Longe das salas de aulas e sentindo falta de lecionar, o professor de matemática Daniel Ferretto criou um canal no Youtube para ensinar tudo o que sabe. Com todos os equipamentos disponíveis e as aulas planejadas, o canal entrou no ar dia 2 de abril de 2014.

 

As diferenças entre ensinar em sala de aula e em videoaulas não são um problema para o professor. Na aula online ele não se preocupa com o tempo, diferente das aulas presencias que o horário é limitado. "Não me preocupo com o tempo. E, além disso, não existe conversa paralela”, comenta.

 

Além da questão do tempo,  para o professor que não tem vinculação com uma instituição de ensino em seu canal no Youtube, a grade curricular de cada matéria é outro ponto negativo, pois é preciso seguir o plano de ensino. Ele ainda destaca que, com a facilidade de acesso e manuseio de videoaulas, os alunos conseguem se concentrar e aprender de forma mais rápida e eficaz.

 

“Hoje muitos alunos utilizam as vídeo aulas como ensino exclusivo ou como uma espécie de revisão e aprofundamento do que eles viram em sala de aula. Você pode acelerar a aula, pausar, voltar, enquanto em sala de aula você não tem essas possibilidades”, destaca o professor.

 

Em relação à interação com os alunos, Daniel Ferretto diz que, apesar de não ser instantâneo, a comunicação acontece de outras maneiras. Como, por exemplo, nas redes sociais, por comentário feitos nos próprios vídeos e também por meio de monitoria, ou seja, um serviço para tirar dúvidas.  “O feedback e as dúvidas vem através de comentários e mensagens nas minhas plataformas”, explica Ferretto.

 

Aulalivre.net é um portal que entre 2012 e 2013 começou a investir em aulas à distância. Utilizando vídeoaulas como recurso de ensino, o portal transmite cursos online de preparação para o ENEM (Exame Nacional de Ensino Médio) e Vestibulares no Youtube e na plataforma Aulalivre.net.

 

Professor de inglês, Yuri Zaidan faz parte do time do Aulalivre.net e fala que o motivo da criação do portal ocorreu pela falta de qualidade no ensino brasileiro. “A ideia de transmitir aulas através da internet nasceu em decorrência da escassez de conteúdos de alta qualidade no mercado educacional”, comenta.

 

Diferente do professor Daniel Ferretto, Zaidan cita as redes sociais, aplicativos e outras atividades que dependem de disciplina como pontos negativos em dar aulas na internet, pois os alunos podem acabar se distraindo. Mas afirma que apesar disso, os resultados positivos de aulas online superam qualquer desafio. Em relação aos benefícios, o professor destaca as possibilidades que os alunos têm na hora de escolher como e onde estudar (horário e local).

 

A acessibilidade financeira, personalização de ensino, escala de alcance e conjunto de serviços agregador são benefícios citados pelo professor de inglês. “Para o estudante, a maior oferta entre diferentes canais de ensino é benéfica”, comenta.

 

O encontro presencial entre mestre e aluno também não é um problema para o professor Zaidan, mas apenas um diferencial. A interação com os alunos ocorre nas aulas ao vivo, por meio de chats, canais de relacionamentos e ainda por um espaço virtual chamado de Tira-Dúvidas. “O serviço permite aos estudantes enviarem até 4 dúvida/mês para a nossa equipe de professores”, explica.

 

Aprendendo online

 

Luther Max Cardoso Ferreira de Brito cursa jornalismo, sua segunda faculdade à distância. A explicação clara dos conteúdos e a facilidade ao acesso às videoaulas são os motivos dele para investir nesse tipo de ensino.

 

A comunicação com os professores é, para o aluno, algo que poderia ser trabalhado de uma forma melhor. Afinal, mesmo com todos os recursos disponíveis, ele sente falta de estar presente em sala de aula para ter resultados melhores na hora de tirar dúvidas e fazer questionamentos com os professores.

 

Sobre os pontos positivos das videoaulas, o estudante diz que a possibilidade de assistir como e onde quiser e rever os conteúdos é algo que facilita muito na hora de estudar. “O estudante tem a possibilidade de rever os conteúdos, o que ajuda muito na memorização e na aprendizagem dos assuntos”, afirma.

 

Para o futuro jornalista o desafio maior desse novo jeito de aprender é o fato do professor não estar presente na hora das aulas. Mas, Luther acredita que com uma explicação de qualidade, as videoaulas só têm a contribuir ainda mais para o aprendizado dos alunos. “Com um conteúdo claro e detalhado, com certeza, essa era digital só vem a somar.”

 

 

Please reload

Jovens LGBT enfrentam preconceito dentro de casa

18.11.2019

Ser bilíngue significa expandir os horizontes

11.11.2019

Terror destaca cinema nacional

04.11.2019

1/3
Please reload

  • White YouTube Icon
  • White Facebook Icon

Siga a Entreverbos

Revista online produzida pelos alunos do curso de Jornalismo

Centro Universitário Internacional| UNINTER |

Rua Saldanha Marinho, 131 – Centro | Curitiba-PR |

revistaentreverbos@gmail.com

 Site projetado por Agência Experimental Grafita
Colaboração de layout por Guilherme Dias
Siga a EntreVerbos
  • fb icon 2
  • yt icon 2
Revista digital produzida pelos alunos do curso de Jornalismo