• Marcos Bassetti

Consumo de alimentos orgânicos cresce durante a pandemia

A preocupação com a saúde e a origem dos alimentos são alguns dos fatores que contribuíram para aumento de 30%



As cestas de orgânicos tem sido uma boa opção de delivery durante o isolamento social. (Crédito: Arquivo pessoal Sirius Orgânicos).


A procura por alimentos mais saudáveis e livres de agrotóxicos teve um aumento de 30% em 2020, segundo pesquisa da Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis), entidade setorial dos orgânicos no país. As vendas movimentaram o valor de R$ 5,8 bilhões no Brasil e a expectativa é que em 2021 o crescimento seja de 10%.


Os aumentos ocorreram em um contexto de isolamento social, com comércios fechados. Frente a este desafio, alguns comerciantes utilizaram a tecnologia digital para impulsionar as vendas e assim, superar a crise.


É o que fez o casal Carolina Sereneski e Daniel Machado. Os dois são donos da empresa Sirius Orgânicos, localizada no Mercado Municipal de Curitiba. Eles obtiveram um acréscimo de 40% das vendas nesse período. “O projeto da Sirius surgiu em 2014 como uma empresa de sucos orgânicos prensados a frio. Após um ano e meio de investimentos tivemos que mudar o rumo”, conta Carolina.

Após sete meses com as portas fechadas, viram no serviço online a oportunidade de conquistarem novos clientes. O carro-chefe são as cestas de alimentos orgânicos e os pedidos são realizados pelo site e pelo Whatsapp.


Na época o casal já trabalhava com entregas de cestas de alimentos orgânicos. “Empreender não é uma tarefa fácil e é necessário resiliência. É preciso não colocar todos os ovos em uma única cesta”, conta a proprietária. Sob a recorrente atualização dos decretos municipais e estaduais sobre as medidas restritivas, o casal não se viu tão paralisado pois já usava estratégias como delivery e vendas pelo site. As vendas pelo WhatsApp vieram com a pandemia.


O infográfico abaixo mostra como os clientes fazem o pedido:


Grande parte da produção dos alimentos vêm da agricultura familiar, sendo a principal fonte de renda das famílias. Isso representa 70% dos alimentos que chegam à mesa da população brasileira.

Felipe Nalesso produz orgânicos desde 2020 junto com a família e vê no mercado grande potencial. “Acredito que a pandemia, apesar das tragédias, acaba sendo um tempo de oportunidades e possibilidades”. No áudio a seguir ele fala do trabalho em família.



Empreendedorismo na faculdade


A agricultura orgânica protege a qualidade da água e respeita o equilíbrio da natureza. (Crédito: Arquivo pessoal de Henrique Sofiati)

“Tivemos um crescimento de cerca de 400%”, conta Henrique Sofiati, um dos idealizadores do QG Orgânico, delivery de orgânicos em Curitiba. A iniciativa surgiu como um projeto no curso da faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2016.

Esse crescimento aconteceu durante a pandemia explica o idealizador:



No início, ele e um amigo criaram um site de vendas dos produtos. Os compradores eram a família e os amigos e, ao todo, faziam cinco vendas por semana. Permaneceram no projeto por quatro meses.


O negócio aumentou aos poucos. Em dois anos de empresa, junto com outros quatro amigos e investindo em marketing digital, começaram a fazer de 15 a 18 entregas por dia. Saltando de 30 para mais de 200 clientes.